Mediunidade 1 - Apostila 24

    Mediunidade 1 - Apostila 24

     

     MEDIUNIDADE  -  TEORIA  E  PRÁTICA

     

    15ª Parte

     

    CHACRAS  -  IV

    Nesta análise dos chacras que estamos fazendo desde a apostila 21, já abordamos vários tópicos que vieram de esclarecer muitas das dúvidas e curiosidades sobre o lado psíquico das criaturas.  Continuando, nesta apostila abordaremos em especial a temática sobre a Tela Etérica.

     

     

    Para melhor gravar as informações, re-petimos nesta a figura ao lado, apresentada na apostila 21, que mostra o conjunto Chacra/Plexo.  Nesse conjunto, a Tela Etérica está representada na cor azul.

     

    Ao final da apostila 23 dissemos que a Tela Etérica pode ser dilatada por ação conscientemente controlada, como resultado de atitudes disciplinadas por parte daquela pessoa que assim o desejar.  Como exemplos para chegar a esse resultado citamos a disciplina psíquica, a disciplina pessoal, o estudo e a meditação.

     

    Entretanto, pode acontecer da Tela Etérica   vir a se dilatar independentemente da vontade da pessoa, desde que forças externas, superiores à sua resistência, atuem sobre seu psiquismo, ou diretamente sobre a tela.

     

    Citando situações que podem levar a esse desfecho podemos lembrar que em determinados grupos espiritualistas, e mesmo em atendimentos terapêuticos da linha reikiana, são empregados métodos de magnetismo para provocar o que se pode chamar de abertura de canais.  Esses métodos, como a figura Fig-24A demonstra, consistem, comumente, na aplicação de “passes”, ou transfusão de energia, carregados com alta dosagem de energia vital do operador que, por sua vez, impregna-a com intenções de transformar aquela pessoa em médium, ou em operador terapêutico.  Vejamos porque essa atitude é desaconselhável.

     

     

    Muitas pessoas não sabem que pelo próprio princípio das leis da energia, que é exatamente nas extremidades do corpo, as mãos e os pés, onde se concentram as saídas de maior fluxo vital.  Também não sabem que as energias são moldáveis pela força do pensamento e pela qualidade das intenções de quem as emite.   Desconhecendo essa plasticidade das energias, e por isso mesmo não levando em conta possíveis conseqüências negativas de seu ato, o operador posiciona suas mãos sobre a cabeça do candidato, exatamente sobre o chacra Coronário, transferindo àquela pessoa energia com alta dosagem de que ela se torne médium ou terapeuta. (Figura 24B)

     

     

     

    Ora, no corpo humano, as mãos são os melhores agentes emissores de energia, enquanto que os chacras os melhores receptores.  Desta forma, diante do que exemplificamos na figura Fig-24B e no parágrafo anterior, obviamente que o chacra que, nessas condições, receber maior dose de energia ficará comprometido.  O motivo é que ao fazer incidir sobre o Coronário a energia exteriorizada pelas mãos, tendo na mesma  intenções não apropriadas, e concentrando-a num só chacra, o operador forçará a dilatação, ou até o rompimento, da tela Etérica.

     

    Diante disso, quase sempre, e imediatamente, a pessoa assistida entrará em transe.  Esse resultado vem do fato de a tela Etérica controlar o fluxo no sentido Astral-Físico, e a pressão que naquele momento recebe é em sentido inverso, isto é, Físico-Astral.  (Lembrar o comportamento de válvula, figura Fig-21C, apostila 21). 

     

     

    A pressão, portanto, distende a tela daquele chacra, expondo a pessoa, desse momento em diante, a toda sorte de invasões psíquicas, pois se rompeu sua Defesa Natural, antes que ela pudesse construir suas defesas artificiais.

     

    A  situação descrita acima é desaconselhável pois o desenvolvimento das faculdades psíquicas deve acontecer de maneira equilibrada, mediante aceitação consciente do candidato e de uma prévia preparação deste, conforme as recomendações contidas nas seguintes obras:

     

    O Livro dos Médiuns, (Allan Kardec) capítulo 17, com ressalvas;

    O Consolador, (Emmanuel/Francisco Cândido Xavier) pergunta 384;

    Segurança Mediúnica, (Miramez/João Nunes Maia) capítulos das páginas 10 e 25;

    Mediunidade, (Edgard Armond), capítulo 22.

    Projeciologia, (Waldo Vieira), página 461 e capítulo 466;

    Psicossíntese, (Roberto Assagioli) todo o livro;

    Mecanismos da Mediunidade, (André Luiz/Francisco Cândido Xavier) todo o livro.

     

    Na mediunidade consciente e disciplinada a tela Etérica passa por alterações em sua elasticidade, porém de forma controlada.  Isto é, abrindo e fechando sua malha segundo a ação coordenada entre médium e mentor.  Por isso, a eficácia das orientações sugeridas na apostila 23, quando falamos das quatro disciplinas.  Na proporção de sua vivência, com naturalidade, o candidato constrói sua defesa artificial.  Entretanto, lembramos, a eficácia da defesa artificial é proporcional à disciplina, à vigilância e ao alcance do saber.  Sem esforço ela não se constrói.

     

    Para dirimir alguma dúvida, ou possível incompreensão, esclarecemos que o exemplo demonstrado acima não se equipara ao trabalho de passe, ou tratamento reikiano, puramente terapêutico.  No exemplo falamos que o operador emite energia carregada com a deliberada intenção de transformar a pessoa em médium.  Na aplicação de passe, ou  nos tratamentos reikianos, o operador atua emitindo outros propósitos, voltados, apenas, à reintegração da pessoa no estado de harmonia orgânica e psíquica.  Em razão disso, a energia se distribui através da aura atingindo igualmente a todos os chacras.  Nestes casos, a energia não se concentra em um só chacra, sendo esta, portanto, a forma correta de ser feita.

     

    Quando, por um caso específico, seja necessário trabalhar somente um chacra, o operador experiente saberá como dosar e utilizar a energia adequada aquele chacra, para não permitir que ocorram danos.  Esse trabalho específico se torna necessário quando é preciso promover a limpeza do chacra, recompô-lo nas partes afetadas e dar-lhe funcionamento harmônico.  Sobre isso falaremos mais à frente.

    Voltando ao tema, enumeramos a seguir outras circunstâncias que provocam a dilatação, ou o enrijecimento  ou perda da elasticidade, e até o rompimento definitivo da tela Etérica.

     

    Drogas Alucinógenas – Seu uso, além do grande mal que causa ao conjunto celular do corpo Físico, provoca o rompimento total da tela Etérica.  Sem essa defesa natural o viciado fica exposto aos estados de delírio e alucinações.  Começa a ver, e a “viver”, todo o ambiente do baixo Astral, com todos os seus horrores, aproximando-o da demência irreversível.

     

    Álcool – Embora seus efeitos sejam mais brandos que os causados pelas drogas alucinógenas, o uso continuado, além dos danos que causa ao organismo, prende o viciado a entidades muito inferiorizadas e vampirizadoras..  Além disso, provoca o descontrole de todo o sistema nervoso central, levando ao estado do chamado delirium-tremens.  (Vide Duplo-Etérico, apostilas 11 e 12).

     

    Fumo – Seus efeitos devastadores são mais lentos de serem notados, porém causam ao organismo e aos chacras os mesmos prejuízos provocados pelo álcool e pelas drogas alucinógenas.  Ou seja, seu uso atrai entidades vampirizadoras que se servirão do viciado para satisfazerem seus desejos de fumar.

     

    Na figura acima fazemos essa representação, onde vemos uma entidade vampirizando, sugando, as essências tóxicas que evolam através dos chacras do fumante.  A esse respeito, e no tocante às bebidas alcoólicas, Annie Besant, no seu livro O Homem e os seus Corpos, publicado pela Editora Pensamento, à página 29, comenta sobre essa aproximação que se forma com entidades muito repugnantes quando o indivíduo se entrega ao vício de fumar ou ingerir bebidas alcoólicas.

     

    Conforme a figura Fig-24C demonstra, para os casos descritos, e com relação aos chacras, o que ocorre é que as drogas alucinógenas, o álcool e o fumo contêm certas substâncias químicas chamadas de alcalóides que ao se desprenderem, volatilizam, passando do plano físico denso ao físico no nível das energias.  Isto é, ao nível do Duplo-Etérico.  Uma vez ali, através dos chacras, transferem-se ao corpo Astral, num fluxo, como ficou dito linhas atrás, de sentido contrário para o qual a tela Etérica não está preparada.  (Vide efeito de válvula – apostila 21).

     

    Assim, devido à continuação do vício, a deterioração, ou deformação, da delicada Tela ocorrerá de duas formas, a saber:

     

    1. As substâncias volatilizadas ao passarem  pelos chacras “queimam” a Tela, abrindo furos por onde passam, descontroladamente, toda classe de energias carregadas de influenciações negativas.  Além destas, também penetrarão larvas astrais que podem ser comparadas aos micróbios do plano físico.  Como resultados dessas invasões a pessoa passará a ter alucinações:

    2. Não ocorrendo a “queima” da Tela, ocorrerá, porém, o enrijecimento da malha, perdendo ela a flexibilidade tão necessária à vivência normal da pessoa. Neste caso o resultado será embrutecimento e nervosismo exagerados.

    As duas modalidades podem ser observadas nos viciados.  A primeira se revela nos casos de obsessão intensa, levando o obsidiado aos delírios e à loucura.  A segunda modalidade é vista naquelas pessoas cujos hábitos são grosseiros, abrutalhados e dados ao sensualismo.

     

    Para ambos os casos, porém, o indivíduo tende a perder o senso de responsabilidade, senão no todo, pelo menos em parte.  Em tais casos, mesmo quando em lucidez não vacila em agredir aqueles que lhe contrariam a vontade.  Exemplos: alcoólatras que espancam esposa e filhos.  Tais violências embora às vezes não sejam físicas, são, entretanto, por palavras grosseiras e humilhantes, como também pelos pensamentos inconfessáveis que emitem.  Não esqueçamos que o pensamento também agride.  Tudo isso tem um outro agravante.  Depois da morte do corpo físico tais vícios levam às situações mais deploráveis.  Ocasionam uma espécie de endurecimento, ou paralisia, do corpo Astral, exigindo para sua recuperação tanto tempo, no mínimo, quanto foi o tempo de uso do tóxico.  Isso, sem falar que o dano causado ao corpo Astral pode ser de tal monta que, de futuro, uma só reencarnação não bastará para recuperá-lo.

     

    Cores  -  Como  informação   complementar, queremos lembrar que Luz é energia.  A variação da luz em tonalidades coloridas é a variação da intensidade vibratória da energia.  Como os chacras são receptores de energia, conclui-se que as cores a eles influenciam.  Portanto, cada chacra, individualmente, é influenciado mais intensamente pela seguinte cor:

     

    Básico è Vermelha                 

    Esplênico è Laranja

    Gástrico è Amarela                     

    Cardíaco è Verde

    Laríngeo  è Azul                            

    Frontal è Índigo

    Coronário  è  Violeta

    A utilização das cores será comentada nas apostilas 54, 55 e 56.

    ----------------------------------------------------------------------

    Bibliografia:

    Waldo Vieira – Projeciologia – capítulos 109, 110 e 111 – Edição do Autor.

    André Luiz/Francisco Cândido Xavier – Mecanismos da Mediunidade, pág. 83  -  Evolução em Dois Mundos, páginas 26 a 29, 35, 43, 66, 69, 72, 98, 116, 133 e 274  -  Ação e Reação, capítulo 19 e página 264  -  Entre a Terra e o Céu, páginas 126, 127, 128, 129, 131 e 142  -  Libertação, página 31  -  Obreiros da Vida Eterna, páginas 204 e 210, todos editados pela Federação Espírita Brasileira.

    Jorge Andréa – Forças Sexuais da Alma – Federação Espírita Brasileira.

    Lancellin/João Nunes Maia – Iniciação, Viagem Astral, páginas 97, 157, 159, 166, 194, 254, 260, 275, 307, 340, 374, 377 – Editora Espírita Cristã Fonte Viva.

    Miramez/João Nunes Maia – Horizontes da Mente, páginas 37, 39, 70, 96 e 186  -  Segurança Mediúnica, páginas 11, 12, 51, 104, 126, 141 à 144 e 147 - Editora Espírita Cristã Fonte Viva

    Manoel Philomeno de Miranda/Divaldo Pereira Franco – Loucura e Obsessão, páginas 35 e 123 – Federação Espírita Brasileira.

    Helena Petrovna Blavatsky – A Doutrina Secreta, volume II páginas 244 e 250 – Editora Pensamento.

    Arthur E. Powell – O Duplo Etérico – Edit. Pensamento

    Charles W. Leadbeater – Os ChacrasA Clarividência, página 6 – Editora Pensamento.

    Hiroshi Motoyama – Teoria dos Chacras – Editora Pensamento.

    Choa Kok Sui – Cura PrânicaPsicoterapia Prânica – Editora Ground.

    Bárbara A. Brennan – Mãos de Luz – Editora Pensamento.

    Zulma Reyo – Alquimia Interior – Editora Ground.

    Apostila escrita por

    LUIZ ANTONIO BRASIL

    Maio de 1995

    Revisão em Dezembro 2006

    Distribuição gratuita citando a fonte

     

    © 2021 VEG11 - Alimentação e Espiritualidade - Vegetarianismo
    Menu Principal